CBN Foz

Versão clássica

Oferecimento

Mercado do Ver-o-peso comemora 387 anos com açaí e peixe frito

Por  | Para: CBN Foz
Açaí com peixe, carne e farinha é o prato típico da feira do Ver-o-peso (Foto: Fernando Araújo / O Liberal)Açaí com peixe, carne e farinha é o prato típico da feira do Ver-o-peso (Foto: Fernando Araújo / O Liberal)

Os aposentados Raimundo Franco e Maria da Conceição moram na cidade de Abaetetuba, que fica no nordeste do Pará, a 120km de Belém. Apesar da distância, toda semana eles visitam a capital para cuidar da saúde e, nestas viagens, sempre fazem uma parada no mercado do Ver-o-peso, a popular feira ao ar livre que completa, nesta quinta-feira (27), 387 anos.

Os aposentados são fregueses antigos do Ver-o-peso (Foto: Luana Laboissiere/ G1)Os aposentados são fregueses antigos do
Ver-o-peso (Foto: Luana Laboissiere/ G1)

"Nós somos fregueses antigos. A gente escolhe vir para cá pode ficar mais à vontade, comer com açaí, farinha. Sem falar que o preço é sempre mais em conta que comer em um shopping ou no centro", explica Maria que, junto com o marido, parou para almoçar na feira pagando apenas R$ 20 em um generoso prato com carne assada de panela, arroz, feijão, macarrão e salada - acompanhados, claro, de uma tigela com meio litro de açaí.

Ao contrário da "versão para exportação" vendida no sul e sudeste do país, o açaí dos paraenses não é uma bebida energética: o vinho da fruta é vendido como refeição no Ver-o-peso, e servido com carne ou - mais tradicionalmente - peixe frito. E a quantidade impressiona: segundo levantamento do Departamento Intersindical de Estudos Socioeconômicos (Dieese), o mercado comercializa aproximadamente 30 toneladas de açaí por ano, além de 12 toneladas de peixe por dia.

A curitibana Daniele aprovou a receita paraense (Foto: Luana Laboissiere/ G1)A curitibana Danielle aprovou a receita paraense
(Foto: Luana Laboissiere/ G1)

A turista curitibana Danielle Knevels visitou o mercado pela primeira vez, e resolveu experimentar o jeitinho paraense. “Os peixes são maravilhosos, de um sabor que não tem igual em qualquer outro lugar do país”, conta a administradora, enquanto almoçava uma posta de dourada frita. O açaí, servido apenas com a farinha d´água, também não intimidou a turista.

“O gosto é bem diferente do açaí que chega para a gente no sul, que geralmente é doce, com pedaços de frutas, mas essa versão regional também é gostosa. Vim conhecer a cidade com essa proposta, viver o que o pessoal local vive, compartilhar das experiências de quem mora aqui, e indiscutivelmente, isso passa pela comida”, revela.

O gosto é bem diferente do açaí que chega para a gente no sul, que geralmente é doce, com pedaços de frutas, mas essa versão regional também é gostosa"
Danielle Knevels, turista de Curitiba

Sabor local
O funcionário público José Maria Fonseca, de 57 anos, trabalha perto de diversos restaurantes do centro de Belém, mas se desloca diariamente até o mercado para almoçar pratos como peixe ou charque frito com açaí.  “O bom de comer do Ver-o-Peso é essa variedade de alimentos que você encontra aqui, o ambiente é descontraído e o custo/benefício vale muito a pena”, finalizou.

Os boieiros e boieiras da feira, como são conhecidos os trabalhadores que comercializam alimentos no local, contam o segredo do negócio. “Nesse ramo não tem crise ou tempo ruim. Mesmo com problema de dinheiro, as pessoas têm necessidade de comer todo dia. E o tempero de cada um, somado com a alegria que a gente tem no nosso trabalho, a atenção que damos aos nossos clientes acabam fidelizando os fregueses”, explica Antônio Martins de Souza, 63 anos,  28 deles dedicados a vender peixe frito à clientela que circula todos os dias pelo Ver-o-Peso.

O mercado
Inaugurado no dia 27 de Março de 1627, o Ver-o-Peso é um complexo com quase 30 mil metros quadrados de área, onde circulam 50 mil pessoas por dia. De acordo com o Dieese, cerca de 5 mil feirantes trabalham no mercado, que é um dos principais cartões postais de Belém. O comércio de frutas, verduras, legumes em suas barracas injeta cerca de R$ 1,3 milhão por dia na economia de Belém.

 


Adicionar comentário

Importante: O conteúdo postado neste espaço é de responsabilidade do autor.


Código de segurança
Atualizar

Ads_P

...........................................................................

CBN Foz

Topo Versão Web

twn A versão Mobile é a indicada para seu dispositivo, caso confirme, será direcionado para versão clássica